Como podemos ajudar você?

Ação humanitária em aldeia indígena de Itanhaém

Ação humanitária em aldeia indígena de Itanhaém

Foi inaugurado, no dia 9 de julho, mais uma unidade do Centro de Referência Especializado para População em Situação de Rua (Centro Pop), na cidade de Itanhaém. A unidade socioassistencial servirá para o atendimento e acolhimento de pessoas e famílias das mais diversas vulnerabilidades. O evento contou com a participação da Secretária de Estado de Desenvolvimento Social, Célia Parnes.

Além da inauguração, Célia Parnes também participou da ação humanitária na Aldeia Indígena Rio Branco Yakã xîi porã, também na cidade da Baixada Santista.

Distribuição de alimentos e insumos

A visita à Itanhaém incluiu a destinação de 350 cestas de higiene e limpeza, 350 frascos de álcool gel, 300 cobertores e mais de 200 máscaras na Aldeia Indígena Rio Branco Yakã xîi porã, em parceria com o Fundo Social de São Paulo; contando ainda com a execução de testagem para Covid-19 pelo Instituto Butantan. Ao todo, habitam na aldeia cerca de 100 pessoas.

Testagens em aldeias indígenas

Em junho, as testagens foram iniciadas em aldeias indígenas, na população da Aldeia Filhos Dessa Terra, em Guarulhos e se expandiu para bairros periféricos e locais que possuem grande adensamento populacional. A meta é que cerca de 200 mil pessoas destas regiões sejam testadas.

Proteção social no enfrentamento à pandemia

Para a Secretária de Desenvolvimento Social do Estado de São Paulo, Célia Parnes: “É necessário abrangermos os mais diversos públicos vulneráveis nas nossas ações e, hoje estamos aqui, como prova do compromisso do Governo do Estado de São Paulo de que a proteção social é um dos carros-chefes no enfrentamento à pandemia”.

Durante a visita, Célia Parnes esteve acompanhada do Secretário da Justiça e Cidadania, Paulo Dimas Mascaretti, e do Prefeito de Itanhaém, Marco Aurélio Gomes dos Santos.

“As ações capitaneadas pela Secretária Célia Parnes garantem segurança alimentar a milhares de famílias em várias partes do estado. Um trabalho valoroso, sobretudo nesse momento da pandemia da Covid-19. Para somar esforços nessa corrente do bem, a Secretaria da Justiça e Cidadania, por meio da Fundação Itesp, também tem entregado cestas básicas em aldeias indígenas, comunidades ciganas e vulneráveis”, explicou o Secretário da Justiça e Cidadania, Paulo Dimas Mascaretti.

Até o momento, foram doadas 8.500 cestas, sendo 2.000 para 70 aldeias indígenas, entre elas a Rio Branco, em Itanhaém. Até o fim de julho, a previsão é de que sejam entregues mais 1.500 cestas, totalizando 10 mil, adquiridas de agricultores de assentamentos rurais e de comunidades remanescentes de quilombos via Fundo Estadual de Combate e Erradicação da Pobreza (Fecoep).