Bom Prato Santo Amaro comemora 11 anos

Desde sua inauguração a unidade já serviu mais de 5,8 milhões de refeições à população mais vulnerável socialmente

imagem

O Bom Prato Santo Amaro serve dirariamente 2.040 almoços e recebeu aumento de cota de mais 200 refeições

imagem

No cardápio de aniversário havia frango assado e gelatina de sobremesa

imagem

Dona Sônia Maria Takimoto gerencia o Bom Prato desde o início e é muito querida por todos os frequentadores

imagem

Tânia de Jesus Oliveira almoça na unidade Santo Amaro desde a inauguração

imagem

Equipe da cozinha do Bom Prato Santo Amaro

imagem

A unidade possui um posto do Acessa SP com dez computadores

São Paulo, 04 de maio de 2012 – O restaurante Bom Prato de Santo Amaro comemorou 11 anos de funcionamento com um almoço especial nesta sexta-feira. Frango assado, farofa festiva e gelatina estavam no cardápio de festa da unidade, que entrou em funcionamento em 27 de abril de 2001.

Desde sua inauguração o restaurante já serviu mais de 5,8 milhões de almoços a R$ 1,00 e a partir deste mês a unidade passará a servir 200 almoços a mais de sua cota, que antes era de 2.040.

O programa Bom Prato é gerenciado pela Secretaria de Estado de Desenvolvimento Social e em Santo Amaro é administrado em parceria com o Instituto Adventista de Ensino (IAE), sob o olhar atento e carinhoso de Dona Sônia Maria Barbosa Takimoto, 66 anos, gerente da unidade. “Estou aqui desde o início e acho que é o melhor programa de alimentação do Governo do Estado, porque beneficia moradores de rua, idosos e trabalhadores do bairro”, conta.

Dona Sônia conta ainda que juntamente com o trabalho que o IAE desenvolve no Bom Prato ela já conseguiu recuperar 37 moradores de rua. “Consegui vagas em albergue e trabalho de reciclagem, para que conseguissem pagar a própria refeição”, comemora.

O restaurante de Santo Amaro é considerado modelo, pois foi o pioneiro no serviço de café da manhã, servindo a refeição desde 2001. Em setembro do ano passado o programa Bom Prato seguiu o exemplo da unidade e também passou a servir café da manhã completo por R$ 0,50.

Frequentadora do Bom Prato desde a inauguração, Tânia de Jesus Oliveira, 58 anos, é só elogios para o programa. “A comida é maravilhosa. Com certeza é o melhor programa que o Governo já fez pela população”.

Josafá Soares da Silva, 44 anos, quase sempre almoça na unidade e conta que a refeição é muito gostosa. “Eu gosto muito da comida daqui”.

“O sucesso do Bom Prato é devido ao preço e à comida de ótima qualidade. São refeições completas e balanceadas servidas a R$ 1,00”, comenta o secretário de Desenvolvimento Social, Rodrigo Garcia. Além dos serviços de alimentação, a unidade Santo Amaro conta com um posto do Acessa SP (internet gratuita) e cursos do Via Rápida Emprego.

O Bom Prato Santo Amaro fica na Av. Mário Lopes Leão, 685. O café da manhã é servido diariamente a partir das 5h e o almoço a partir das 10h30.

Sobre o Bom Prato

Em 19 de janeiro de 2011, por meio do decreto nº 56.674 assinado pelo governador Geraldo Alckmin, o programa Bom Prato passou a ser gerido pela Secretaria de Estado de Desenvolvimento Social (Seds), deixando a Secretaria de Agricultura e Abastecimento. Desde sua implantação, entre dezembro de 2000 e dezembro de 2011, foram servidas 87,5 milhões de refeições para a população em situação de vulnerabilidade social.

O restaurante popular Bom Prato serve refeições completas, de alto teor calórico (1.200 calorias), compostas de arroz, feijão, carne, legumes, salada, farinha de mandioca, pão, fruta da época e suco, ao custo de apenas R$ 1,00. O Governo do Estado subsidia R$ 2,50 do custo total da refeição (R$ 3,50) e o usuário complementa com o valor de R$ 1,00. Crianças com menos de seis anos não pagam.

No cardápio do café da manhã estão: café com leite ou achocolatado, pão com manteiga, requeijão ou frios e uma fruta da estação, totalizando 400 calorias. O café da manhã tem custo total de R$ 1,30, sendo que R$ 0,80 são subsidiados pelo Governo e o usuário complementa o valor com R$ 0,50.

O café da manhã é servido a partir das 7h e o almoço a partir das 11h até o término da cota de cada unidade (300 cafés e de 1.200 a 2.000 almoços / dia), conforme a demanda averiguada pela equipe técnica na região. Cada restaurante tem um gerente e um nutricionista de plantão e gera de 15 a 20 empregos por unidade.

O funcionamento do Bom Prato depende de convênio firmado entre a Seds e uma entidade da sociedade civil, sem fins lucrativos. As prefeituras também podem participar.

Danielle Teixeira

Voltar para o topo