Saiba como destinar seu Imposto de Renda para projetos que atendem idosos

Pessoas físicas podem destinar até 6% do Imposto de Renda devido para o Fundo Estadual do Idoso

No mês da reta final para declarações do Imposto de Renda (IR), a Secretaria de Estado de Desenvolvimento Social do Estado de São Paulo (SEDS) impulsiona campanha “Imposto de Renda do Bem” para arrecadar recursos para projetos sociais ao Fundo Estadual do Idoso. Pessoas físicas podem destinar até 6% do Imposto de Renda devido para o fundo. Saiba como destinar seu IR para diversas entidades da Sociedade Civil:

Para destinar para projetos voltados aos Idosos:

As doações devem ser feitas por depósito e a declaração deve ser feita no ano seguinte. O site é o mesmo http://idg.receita.fazenda.gov.br/.

Fundo Estadual do Idoso
Banco do Brasil: 001
Agência: 1897-x
Conta Corrente: 9237-1
CNPJ do Fundo: 17.087.890/0001-13

Após a destinação, é necessário enviar uma cópia do comprovante de depósito com nome, CPF/CNPJ, endereço e telefone aos Conselhos Estaduais para obter o recibo.

- Conselho Estadual do Idoso: enviar para o e-mail cei@sp.gov.br. Em caso de dúvidas, o telefone para contato é (11) 3222-1229.

Para quem fizer neste ano, basta informar na declaração do ano que vem os pagamentos efetuados na ficha "Doações Efetuadas" indicando o nome do beneficiário, o número de inscrição no Cadastro Nacional da Pessoa Jurídica (CNPJ) ou no Cadastro de Pessoas Físicas (CPF), o código e o valor doado. O programa informará automaticamente os limites de dedução de acordo com o imposto devido do contribuinte.

Atenção - A legislação brasileira assegura ao contribuinte o direito de escolher onde aplicar parte do valor do IR.

Para o secretário de Estado de Desenvolvimento Social de São Paulo, Floriano Pesaro, informar a população sobre a possibilidade de deixar parte do seu imposto para projetos tão importantes para jovens e idosos. “Geralmente, as pessoas confundem a destinação do imposto com o aumento de tributos e o que ocorre na prática é justamente o contrário. Essa falta de esclarecimento resulta em menos recursos destinados a quem precisa”, diz.

Os Conselhos, que são compostos por representantes do poder público e sociedade civil, fazem a gestão dos Fundos. Por meio de edital, fazem a chamada pública dos projetos e os contribuintes tem a opção de escolher aquele que deseja financiar. Trata-se de entidades com trabalhos sólidos, efetivos e reconhecidos internacionalmente.

Voltar para o topo