Como podemos ajudar você?

 GOVERNADOR VISITA O ARSENAL DA ESPERANÇA E
ENCONTRA BOLSISTAS DA FRENTE DE TRABALHO ESPECIAL

terça-feira,
05/04/2005
 

normal”>GOVERNADOR
VISITA O ARSENAL DA ESPERANÇA E
ENCONTRA BOLSISTAS DA FRENTE DE TRABALHO ESPECIAL

O
programa atende
hoje 260 pessoas, ex-moradores de rua, 
que trabalham
em
entidades sociais da Capital conveniadas
com o governo do Estado.

Alckmin
cumprimenta bolsista da Frente de Trabalho Especial

Alckmin estava acompanhado da secretária Maria Helena Guimarães de
Castro, da Assistência e Desenvolvimento Social, e do secretário
Francisco Prado de Oliveira, do Emprego e Relações do Trabalho.
No encontro com os
bolsistas, o governador assumiu o compromisso de abrir oportunidades
de trabalho em instituições públicas, além daquelas oferecidas
pelas entidades conveniadas no programa. Os bolsistas também terão
a oportunidade de freqüentar cursos profissionalizantes oferecidos
em parceria com o Sebrae-SP. E aqueles que se dedicam ao artesanato
poderão contar com a parceria da Sutaco (Superintendência do
Trabalho Artesanal nas Comunidades), que vai criar espaços para
exposição e comercialização dos produtos.
A Frente de Trabalho
Especial foi criada pelo governador Geraldo Alckmin em outubro de
2004, logo após o massacre de sete moradores de rua na Capital,
ocorrido em agosto do mesmo ano. A idéia surgiu em uma reunião
entre o governador, o cardeal-arcebispo de São Paulo, d. Cláudio
Hummes, o padre Júlio Lancellotti, da Pastoral do Morador de Rua, e
mais treze entidades assistenciais, entre elas a Assindes.
O programa atende
hoje 260 pessoas em situação de rua, que trabalham em entidades
sociais conveniadas com o governo do Estado. Cada pessoa assistida
recebe uma bolsa-trabalho de R$ 260,00 e uma bolsa-alimentação de
R$ 46,64. Um dos convênios em destaque, pela qualidade das ações,
é o da "Fraternidade e Aliança Toca de Assis", vinculada
à Ordem Franciscana. O governo do Estado cedeu um casarão no
bairro Campos Elíseos (Rua Conselheiro Nébias, 1.355), onde os
frades instalaram uma casa de acolhimento para 35 homens,
ex-moradores de rua.

Arsenal
da Esperança resgata a dignidade das pessoas

ARSENAL DA
ESPERANÇA
O Arsenal da
Esperança é um amplo equipamento social, que funciona em um dos
prédios da antiga Hospedaria dos Imigrantes (Rua Dr. Almeida Lima,
900, bairro do Brás, em São Paulo). Fundado em 1996 pela Assindes/SP,
em cooperação com o Sermig (Servizio Missionario Giovani – Turim,
Itália), dispõe de verbas de custeio no valor anual de
aproximadamente R$ 3,4 milhões, previstas no convênio celebrado
com a Secretaria Estadual de Assistência e Desenvolvimento Social –
Seads.
Atendendo uma
clientela de 1.150 pessoas – migrantes e população de rua, com
idades que variam entre 20 e 80 anos – o Arsenal da Esperança tem a
missão de valorizar o ser humano e resgatar a dignidade das
pessoas. Seu objetivo é desenvolver ações voltadas para a
reintegração social, com o treinamento das pessoas atendidas em
atividades que possibilitem seu auto-sustento. Também oferece
ocupação, renda e qualificação às pessoas desempregadas há
mais de um ano, visando sua reinserção no mercado de trabalho.
Além disso, trabalham no Arsenal 31 participantes da Frente de
Trabalho Especial, que voltaram a viver com dignidade após seis
meses participando do programa.
No equipamento
funcionam duas unidades de outros programas estaduais: o Restaurante
Bom Prato, que oferece refeições a um real, e o Acessa São Paulo,
que tem por objetivo combater a exclusão digital.